Dei pra um desconhecido na rua

É o meu primeiro relato aqui de muitos que pretendo contar. Sou uma vadia nata, adoro ser putinha, tenho uma vida sexual bem movimentada pois me permito viver tudo o que eu quero.
Certo dia eu saí para correr numa pista de caminhada próxima a minha casa. Eu sou do tipo que chama atenção, sou branca, loira, seios médios e redondinhos, uma bunda enorme e coxas grossas torneadas. Eu sei que sou gostosa e adoro me exibir na rua com shortinhos.


Nesse dia eu estava correndo trotinho quando um cara passou olhando num corolla.
Fingi que não vi, mas ele secou mesmo e vi me olhando pelo retrovisor.
Eu, safada como sempre, puxei o short pra aparecer levemente a poupa da bunda.
Vi quando ele fez o retorno e passou devagar, parando o carro logo à frente de mim.
Passei por ele e ouvi me chamar.
-Oi moça, tudo bem?
-Olá, estou bem, e você?
-Estou melhor ainda vendo você (e me olhou de cima em baixo).
-Que bom hehehe.
E segui correndo, mas estava já bem excitada pela abordagem.
O tempo estava fechado e quase chovendo, ele seguiu com o carro do meu lado e me ofereceu carona. Eu aceitei e pedi desculpas pois estava suada. Ele disse não ligar por que todo o resto compensava.
Mal entrei no carro e começou a chover.
Ele perguntou meu nome, o que fazia etc, as conversinhas triviais de pessoas se conhecendo. O carro começou a embaçar fechado, eu falei que estava com calor, ele ofereceu ligar o ar e eu falei que não precisava pois iria tirar a blusa.
Tirei e fiquei só de short e top. Ele perguntou se eu não queria tirar o resto, eu respondi que sim, mas precisaria de ajuda pra ficar peladinha.
-Nossa que safada, eu vi você e fiquei louco pra te foder.
-Então me fode agora inteira. E tirei o short e o top.
Ele me agarrou e me beijou, abaixou o banco e sentei em cima dele já toda melada. Coloquei meu peito em sua boca e pedi pra ele chupar forte, ele abocanhava tudo, sugava forte, mordia os biquinhos enquanto eu esfregava a buceta no pau dele, deixando entrar a cabecinha na buceta.
Ele apertava minha bunda com força, eu receosa por enfiar sem camisinha, quando ele enfiou um dedo no meu cu. Então pensei foda-se, vai na sorte e enfiei o pau dele inteiro na minha buceta. O pau dele era bem grosso mas não muito grande. Enfiei o pau na minha xoxota e comecei a cavalgar, eu gemia, rebolava e pressionava o pau dele em mim. Enquanto isso dois dedos brincavam no meu rabo.
Eu estava enlouquecida na pica, ele me dava tapas na cara e puxava meu cabelo, o carro balançava e eu quicava cada vez mais, lambuzava o pau e a coxa dele com meu melado.
A chuva forte favoreceu pra que ninguém nos incomodasse.
Então pedi mais um dedo no cu que estava sedento por pica. Três dedos enfiados inteiro contigo gemendo e pedindo pra me abrir mais. Então tirei o pau da buceta e enfiei no meu cuzinho.
Ele estava abobado em como uma mulher desconhecida podia ser tão vadia. O pau grosso abriu meu cu, doeu mas eu enfiei mesmo assim. Fiquei com ele totalmente enfiado, passei a mão e senti as bolas encostando. Estava perfeito, meu cu estava arrombado.
Então ele começou a socar, senti um arrepio por todo corpo, gemia e me entreguei.
Ele metia e sua expressão de quem não estava se aguentando ficou na memória. Ele me xingava de vagabunda, vadia, puta arrombada e eu confirmava que era uma vadia e queria ver meu cu escorrendo porra. Então ele socou muito forte, senti um prazer enorme, algo tão incontrolável que eu tremia. E gozei dando o cu no carro.
Senti quando o pau dele vibrou dentro do meu cu jogando jatos de porra.
Deitei sobre ele cansada e tolamente molhada de suor. Fiquei com o pau dele enfiado no cu até amolecer, e depois sentei no banco do passageiro. Então ele ligou o ar e demos uma volta de carro comigo nua e toda gozada. Ele dizia que eu era muito vadia e queria me ver mais vezes, conversamos enquanto eu mexia no pau dele e chupava. Ficou duro de novo, estacionamos e novamente eu sentei. Mas eu estava no limite do meu horário e precisava ir embora.
Fiquei pelada no carro até ele me deixar em casa, quando trocamos telefone, me vesti e entrei bem satisfeita.
Até hoje ele é meu pau amigo.

6 thoughts on “Dei pra um desconhecido na rua

  1. Ki garota gostosa e vadia,deliciosa. Sou um coroa de 60 anos de São Paulo, com muito tesao pra dar. Moro na Penha. Sou carinhoso educado muito limpo e higiênico Gosto muito de tranzar. Procuro por mulheres. Pode ser Magra Gorda mestiça, branca negra etc. Novinhas ou coroa, Solteiras ou se forem casadas, eu guardo sigilo. Tranquilo. Meu zap é 11948001531. Estou ti esperando viu.Bjoss.

  2. Um tipo de sexo assim sem marcar é bom de mais eu adoro Eu quero alguma cachorra eu quero trocar sacanagem É depois fuder gostoso tem alguém aqui é só me chamar qual quer hora 11943394437

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *