Meu genro perverso (A Fascinação)

Tudo começou há 5 anos, quando minha filha tinha acabado de conhecer o homem que se tornou o seu marido …e meu amante.

Nada, no entanto, me predisposia a tal perversão e o meu marido nunca teve a menor intenção.Ele soube imediatamente como ser apreciado pelo meu marido pelo seu conhecimento e seu intelectual …De minha parte o entusiasmo foi mais moderado, porque ele era e é um homem muito bonito e atraente me deixou pensar que seria capaz de fazer sofrer minha filha e uma mulher sente bem quando está na presença de um homem dito “à mulheres” .. .

Passou-se um ano morando quase juntos porque moravam numa casa ao lado da nossa e, apesar de todos os quatro trabalhar, nós encontravamos regularmente na hora do jantar.Aos poucos , eu ganhei confiança, e pouco a pouco baixei a guarda, não considerando seus sorrisos hilariantes e seus elogios como tentativas de sedução, mas como parte da sua personalidade …

Ele foi capaz não só de baixar a minha vigilância, mas acabou também por me atraindo ,sua sogra em seu jogo, permanecendo nos limites do aceitável para que ninguém se ofendesse.A relação com a minha filha sempre foi muito cumplice,parecemos duas amigas ,ela acabou por me contar,um dia que falavamos das relações sexuais , as práticas sexuais mais ousadas que o meu genro queria que ela fizesse, , eu fiquei a saber que ele queria que ela fizesse sexo com outros homens,na sua presença mas que ela estava reticente..

Eu percebi que ele estava tentando despertar em mim uma tentação que eu estava tentando resistir, mas que, obviamente, estava ficando cada vez mais forte . Eu sabia que seu desejo de submeter sexualmente minha filha e eu lia cada vez mais em seus olhos seu convite para isso, que eu viesse substituí-la.

Consciente ou inconscientemente, ele estava ganhando terreno …Eu senti, meu libido respondendo e achei que ele viu isso muito cedo .Eu me senti atraida, ele havia encontrado o caminho para fazê-lo e senti as tentações do desejo atrapalhar a minha lucidez.Este demônio tomou o poder sobre a mãe e a mulher…

Sentia em mim sentimentos ainda desconhecidos, que me deixavam frágil, febril, incapaz de conter uma excitação crescente em sua presença.Ele gostava que eu usasse calças,que eu mantivesse o cabelo longo,essa influência que ele exercia sobre mim tornou-se para mim cada vez mais límpida e isso, sem que ningém percebesse que vinha dele.

A poucos dias do meu aniversario , ele veio me ver sozinha no meu escritório na cidade e perguntou se eu aceitaria acompanhá-lo para que eu escolhesse meu presente. Fiquei um pouco surpresa, mas aceitei lhe fazendo perguntas sobre a razão de sua abordagem, na ausência do meu marido e da minha filha.Espertamente, ele disse que queria me dar um presente pessoal e poderíamos almoçar juntos para discutir os méritos dessa iniciativa.

Foi meu primeiro almoço com ele cara a cara e, embora se tratasse de escolher o meu presente de aniversario, a minha intuição como mulher me colocou em alerta. Senti-me culpada , ele me viu e me tranquilizou, argumentando que não havia nada de errado com o fato de podermos excepcionalmente compartilhar uma refeição na cidade, acrescentando que, para ele, era um verdadeiro prazer para poder falar mais livremente um com o outro..

Mas eu estava com medo de mim mesmo …o almoço passou depressa, quase depressa demais, então eu gostei de sua companhia de homem cortês, galante, atencioso, sedutor também, sempre me elogiando em tudo e tive que refrear seu ardor que ele frustrou com um humor que desculpou sua audácia. De volta a casa, ao redor da mesa, senti o peso de um proibido e hesitei cem vezes para me libertar revelando nosso almoço.Ele me observou constantemente, esperando pela minha reação, esperando para ver se eu iria me libertar por uma confissão ou aceitar dele a partilha de um segredo, um relacionamento oculto.

A refeição terminou nossos olhos se cruzaram novamente …Ele me agradeceu …Eu estava um pouco irritada com ele, mas no fundo de mim eu já estava gostando por obedecer-lhe.Ele me fez tomar um novo rumo: aceitar a minha condição.

A noite foi muito agitada,levei muito tempo adormecer , nunca tinha escondido nada ao meu marido e lá ia enganá-lo com o meu genro, estava convencida disso, o meu sexo molhou loucamente, acho que gozei pela primeira vez com imensa vergonha, possuida por um desejo que não diminuia, muito pelo contrário e dilacerado pelo terror que pode ser visto no meu rosto.

Como não conseguia dormir pensei em tomar um banho para resfrescar as ideias, entrei na casa banho,fiquei supresa quando vi ele que estava saindo do banheiro. Me vendo, ele sorriu e Eu admito que, em repouso, o sexo dele já era longo, mais longo do que o do meu marido ereto; Eu nao conseguia virar meus olhos para outro lugar.

Ele pegou minha mão, me puxou para ele e me beijou. Na frente de toda essa paixão, surpresa, eu tentei desajeitadamente me soltar. Ele me abraçou com força, me fez virar de costas para a parede; Eu estava presa. Eu tentei fugir empurrando-o para longe, mas com o seu aperto ele conseguiu me segurar contra a parede, sua língua tentando tomar minha boca a todo custo. Seu pênis ereto vindo batendo contra a minha barriga, ele foi firme, mas gentil ao mesmo tempo. Meu corpo começou a reagir positivamente a suas carícias. Ele continuou a me beijar no pescoço, então ele voltou para os meus lábios.

Naquele momento, eu não resisti e respondi ao seu beijo. Eu peguei seu pau na minha mão para começar a masturbá-lo. Fazia tanto tempo desde que eu sentia esse desejo … Sua mão soltou meu pulso para agarrar meu peito enquanto sua outra mão já estava na minha cueca, fazendo caricias no meu botão dourado. Nós nos masturbamos um ao outro, selvagemente. Em pouco tempo, ele gozou fortemente na minha camiseta, e logo depois eu me juntei a ele em um prazer que eu nunca havia conhecido antes.

Tremendo de todos os lados, deixei-o tirar a camiseta, depois meu top e minha camisa de baixo. Ele me beijou carinhosamente, desceu gentilmente até os meus seios, tomou na boca meus mamilos que já estavam eretos, chupou, lambeu, chupou, então desceu suavemente para o meu sexo, me cumprimentando com o fato de que eu não ser raspada. Ele me lambeu e chupou meu botão enquanto com os dedos ele procurava minha vagina. Eu coloquei pouco tempo para gozar na sua boca; nunca meu marido jamais fez isso comigo!

Eu recuperei meus espiritos;e, eu coloquei fora do banheiro e tomei banho.O dia todo ele não parou de me acariciar discretamente por debaixo da mesa, aproveitando o momento em que estávamos sozinhos para acariciar minhas nádegas, seios. Eu estava inteiramente à sua mercê….

continua

2 thoughts on “Meu genro perverso (A Fascinação)

  1. Sou homem gay, procuro grupo de machos ativos para me estuprar sem dó de verdade. Podem me dominar e fazer TUDO que quiserem comigo, mesmo se eu pedir pra parar e precisar ser à força. Local em Campinas SP

    Tenho contato whatsapp, vídeos e fotos em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *