Minha sobrinha virou uma tarada devassa

Ela que era magrinha e bem sem sal se tornou um mulherão, com um corpo gostoso em 1,65 de altura eu acho e um corpo todo escupidinho na academia, nada exagerado. Eu sempre fui um tio bem brincalhão e sempre fui tarado também, já passei muito sufoco vendo minhas sobrinhas de calcinha pela casa da minha mãe e sempre quebrei muita bronha pra elas.

Não vou negar que sempre me senti culpado, mas a carne é fraca e olhar não arranca pedaço né? então quando as garotas entraram na maioridade eu secava elas sem culpa nenhuma, mas morria de medo de ser descoberto porque pra minha família incesto é um crime, é melhor ter uma filha puta em casa do que acontecer uma coisa dessas, minha mãe ia surtar, então sempre fui muito discreto.

Minha sobrinhas são bem gostosas mas uma em especial começou a tirar meu sono, que é a que eu falei no começo, o nome dela é Luma e ela adora provocar os caras, é aquele tipo de garota que curte um baile funk e toda vez que vai é com cada shortinho atolado no rabo e dividindo a bocetinha, que meu pau fica durão só de olhar, é muita tentação.

Eu sempre peguei todo mundo no colo, sem malícia, mas com a Luma comecei a não aguentar, quando ela sentava eu tirava uma casquinha, pior que ela parecia nem perceber quando eu pegava levemente na bundinha dela, quando eu ajeitava a posição dela pra ficar mais em cima da minha pica e etc.

Um dia cheguei em casa do trabalho, minha mãe tava na igreja e ela tava sozinha dançando funk na sala, então eu fiquei louco vendo ela rebolar aquele rabo gostoso com um shortinho de lycra bem curtinho que ficava mostrando a papada da bunda e a boceta gordinha toda marcada. Ela me viu e continuou dançando, aí aproveitei que não tinha ninguém e sentei na sala e fiquei assistindo.

Isso deixou ela animadinha, ela dançava olhando pra mim, virou de costas e ficou mexendo o rabo e descendo até o chão, não tinha como eu aguentar e perguntei se ela não queria dançar no colo do tio, já esperando ela me xingar, mas ela só deu uma risadinha e continuou dançando. Eu que já tava desesperado pra comer ela falei que estaria no meu quarto vendo tv de luz apagada, que se ela quisesse qualquer coisa era só chamar.
Não aguentei e entrei no quarto dela escondido

Tarde da noite ali, quietinho fiquei com tesão pensando na dança dela e resolvi bater uma punheta e dei uma gozada bem gostosa. Fiquei uns minutos pensando nela, imaginando como seria a boceta dela, o cuzinho e meu pau ficou duro novamente. Eu não contei detalhes aqui pra não ficar muito longo, mas já tinha tempo que ela me provocava e eu ia levando, fiquei meses assim e nesse dia que ela dançou foi que não aguentei mais. Minha pica doía e latejava de vontade, eu já comi até uma puta pensando nela, aí como homem pensa com a cabeça do pau mesmo, levantei, vi que todo mundo dormia e fui até o andar de cima no quarto dela devagar.

Abri a porta e ela não acordou, eu tava morrendo de medo de alguém da casa acordar, mesmo sabendo que minha mãe e minha irmã tinham o sono muito pesado e só acordavam no dia seguinte mesmo. Mas sabe como é né? quando a gente tá fazendo coisa errada o medo sempre bate, mas ao mesmo tempo aumenta o tesão, então entrei, vi ela de calcinha e sutiã, fiquei admirando aquela bundinha pequena mas bem arrebitadinha, aquela cinturinha fina e as coxas gostosas dela, tranquei a porta de chave, sentei numa cadeira ao lado da cama dela e comecei a acariciar meu pau olhando para o rabo da gostosa.

Eu comecei a me masturbar e fiquei na dúvida se acordava ela ou não, mas já tinha ido longe demais, então acordei ela devagar, ela pareceu meio assustada e com cara de sono e eu disse bem baixinho que não consegui dormir pensando nela e que sabia a forma que ela me olhava. Ela não disse porra nenhuma, mas como também não reclamou, peguei meu pau, passei na cara dela, depois coloquei a mão dela, fechei e eu mesmo comecei a me masturbar com a mão dela. Depois pedi com carinho pra ela abrir a boca e comecei a esfregar a cabecinha como se tivesse passando um batom, e nessa hora pela primeira vez ela agarrou meu caralho e começou a chupar meio tímida. Eu sempre curti fazer as coisas devagar, mas eu tava tão afim que tinha pressa de meter logo nela, mesmo assim eu comecei a brincar com a boceta dela com meus dedos e sentia ela ficando muito molhada e se contorcendo enquanto me chupava.
Minha sobrinha
Teve uma hora que não aguentei e disse:
– Vem cá Luma, senta aqui no colo do tio! Eu vi você dançando hoje e só imaginei essa bunda gostosa no meu pau.
Ela veio na hora, sentou de frente pra mim e ficamos nos beijando enquanto eu segurava ela pela bunda e fazia um movimento de vai e vem para ela roçar a boceta molhada na minha pica dura feito rocha. Ficamos assim uns 5 minutos, só dando uma sarrada, aí levantei ela um pouco, peguei uma camisinha que eu tinha colocado no bolso e depois de por fui encaixando a boceta dela na minha rola e tenho que dizer que foi a melhor sensação do mundo. Ela era muito apertada, espremia meu pau inteirinho e aumentava meu prazer.

Começamos metendo devagar, ela me arranhava todo e teve uma hora que ela disse:
-Aí tio, você tá arrombando minha bocetinha! Eu também tava afim, mete gostoso em mim, deixa eu ser sua putinha.
Essas palavras safadas aumentaram meu tesão, eu queria comer o cu dela, ela disse que era território que deveria ser conquistado com o tempo, então falei pra ela empinar aquele rabo pra eu foder a boceta dela de quatro.

Ela gemeu, empinou e ficou rebolando igual quando ela dança funk, aí eu fui encaixando a pica de novo e ela só dançando no meu pau, que sensação gostosa da porra, não demorou muito, ela disse que ia gozar, então enquanto eu metia, comecei a estimular o grelo gostoso dela e aí ela gozou, apertou meu pau com a boceta e começou a tremer todinha, mas eu ainda queria gozar e pela demora a gozada viria forte e bem grossa!

Avisei para a putinha que eu queria gozar, aí ela pediu pra me chupar e veio mamando gostoso na minha pica, com muita intensidade, lambia minhas bolas, sugava, chegava a doer, mas era uma dor tesuda do caralho, e assim eu dei uma gozada gostosa na boca daquela putinha, deixei a boca dela toda lambuzada. Depois dessa trepada fui correndo para o meu quarto e na madruga mesmo ela mandou mensagem no whatsapp mandando video dela tocando siririca, enfiando os dedos naquela boceta gostosa dizendo que queria mais.

A gente sempre dá uma trepada gostosa, morrendo de medo claro, mas assim é que é bom né? depois disso acabei virando o macho da minha sobrinha e consegui desfrutar do cuzinho gostoso dela.

One thought on “Minha sobrinha virou uma tarada devassa

  1. Quero conhecer mulheres solteiras ou casadas liberadas pelo marido para sexo sem compromisso com muito sigilo e respeito.
    Sou de São Paulo, capital então pode se da região do Butantã, Pinheiro, Santo Amaro, Campo limpo, Taboão da Serra, Embú das artes, Grajaú, Piracicaba.
    Mulheres da que utilizam as linhas do metrô / trem, amarela, esmeraldas ou lilás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *