O Amigo Do Meu Pai

Oi, me chamo Laura, tenho 19 aninhos, baixinha, peitos medios, bumbum empinado, coxas grossas. Sempre fui assanhadinha, desde os meus 16 anos, sempre gostei de caras mais velhos, talvez por experiencia mesmo, muito curiosa sobres essas coisas. Isso aconteceu quando eu tinha 17 anos, costumo andar de pijama em casa, entao nem ligo pra quem está ou dexa de esta lá, meu pai fez um churrasco para os amigos do trabalho, num domingo. Os amigos do meu pai sao bem gostosos, afinal, eles eram da marinha né! Assim que acordei, tomei um banho e desci, dei de cara com o Athur, tinha la seus 36 anos, moreno, corpo bem atletico, alto, de cara gostei, empinei a bunda e passei direto, ja sentia seus olhos me comerem. Gosto de sentar no colo do meu pai, foi o que fiz. Papo ai e vem, Athur nao parava de olhar, me comia pelos olhos mesmo, sem deixar duvidas. Disse pro meu que iria subir. Assim que fui, reparando que ninguem estava olhando, eu disse que esperaria Athur no meu quarto, a porta estaria aberta. Ele demorou bastante, eu ja estava bem excitada. Ouvi ruidos da escada e fingir dormir.


Athur entao disse:
-Voce cresceu Laura! (Ja pegando na minha bunda e afastando meu short) – Hoje voce pediu p ser fodida, e eu vou te foder, voce vai beber todo o meu leitinho. (enfiando 2 dedos na minha buceta e socando rapido e forte)
Eu ja estava delirando de tesao. Como o som estava alto, eu gritava de tesao, so de pensar naquele pau entrando em mim.
-Vem meu amor, chupa esse pau.
Fiz o que ele mandou, alias, eu adoro ser mandada.
Chupei todo o pau dele, era bem grande e grosso, chupei como se nao houvesse amanha,chupava ate deixar ele todo babado, chupava das bolas ate a cabeça e so senti o jato quente na minha boca. Eu ja tenho minha cara de safada, no sexo entao, nem se fale.
Como sou pequena na frente dele, ele me pegava no colo. Me pegou e colocou d quatro. Quando enfiou o pau dele, eu sentia latejar de tesao.
-Fode minha bucetinha, fode esse caralho.
Ele metia com mais força ainda me vendo se contorcer de tesao. Sem pena d mim.
-Vai sua putinha, geme pra mim, nao e assim que voce gosta ?
-Fode esse caralho, fode que é so teu essa porra.
Ele deitou e pediu para que sentasse e mostrasse o que eu sabia fazer. Claro que fiz. Sentava com muita força, eu tava delirando de tesao e prestes a gozar.
-Senta no meu pau sua gostosa, sua puta, sua safada. ( dando tapa na minha cara)
Eu adoro quando falam assim. Me sinto uma puta mesmo, e isso me excita mais
-Bate na minha cara, bate, bate que eu gosto. Sentando cada vez mais forte
-Quero que goze na minha boca, sua putinha
Ele me deitou e começou a chupar minha buceta. QUE LINGUA ERA AQUELA. Gozei rapidinho
-Olha, melzinho de uma putinha novinha, gostosa da porra.
-Agora quero leitinho no meu cuzinho, safado
Me pegou pela cintura e me colocou de quatro novamente. Colocou na entrada do meu cuzinho e pediu p me piscar com ele.
-Pisca esse cuzinho p mim. Pisca p mim arrombar ele todo e dar leitinho.
Piscava devagarinho, quando ele empurrou o pau grande e grosso dele, empurrava cada vez mais forte, e eu gritando de tesao.
-Fode meu cuzinho AAAA, fode gostoso, me bate, bate na minha bunda, vai AAAAAA
-Que cuzinho apertado. (me dando tapa na bunda) -Ele vai receber leitinho agora
Ele deixou meu cuzinho todo cheio de porra. Minha buceta estava latejando e toda inchadinha.
Colocou o short, me deu um beijo e saiu do quarto.
Transo com ele ate hoje, a foda mais gostosa que tive com meus 17 anos.

5 thoughts on “O Amigo Do Meu Pai

  1. Aaaiiiiii que delíciaaaaa
    Tantas coisas q eu amo aiii
    Não consigo ficar sem leitinho no cu kkkkk melhor coisa
    E uma língua quente na bucetinha então nem se fala
    Sexo só é sexo quando batem na minha cara e me chamam de puta, fico muito excitada kkkk

  2. Procuro mulher fogosa
    Tenho excelente nível, cheiroso, saudável e sigiloso
    [email protected]
    sp interior e viajantes
    Sem baixaria ou prostituição.
    Vem gozar comigo, quero testar seus limites com carinho.Quero te proporcionar longas preliminares para deixar sua calcinha ensopada, cair de língua demoradamente e depois penetrar lentamente no início e depois enfiar vigorosamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *