Sexo com uma negra deliciosa

Esse é o minha segundo história e as situações e personagens são reais. Somente troquei os nomes. A conheci ao longo um bate-papo na internet. A conversa se desenvolveu de maneira educado para os dois e logo estávamos no MSN e a troca de telefones foi ágil. A vontade de nos encontramos foi aumento ao longo nossas conversas, porém tínhamos de compor nossos horários. Depois de algumas semanas de telefonemas e conversas no MSN marcamos um abalroamento depois de o expediente. 18 horas aparecia no local combinado, no Centro. Trocamos beijos no anverso e a acanhamento dela não permitia que a conversa se desenvolvesse. Na maior parte do caminho até um barzinho sossegado, foram breves palavras. No momento em que finalmente nos sentamos, a conversa voltou a advir como se tivessemos no MSN ou ao telefone. Ela disse que aparecia receosa por eu ser casado e ela divorciada, porém com uma filha para fazer. Depois de este abalroamento, se seguiram diversos, porém constantemente eram todos apressados, uma vez que eu não podia alcançar tarde em casa e ela morava afastado. Aproveitei uma viagem da minha mulher marcamos de mudar uma noite em um motel e apenas sair no outro dia pela manhã. Constantemente quis realizar uma alienação dessas e a aberta surgiu. Era uma alienação controlada, uma vez que sabia que minha mulher apenas ligaria no telefone celular e a custo iria acionar de madrugada, apenas se acontecesse uma coisa de baixo. Ana (nome aparente), 39 anos, é afrodescendente, 1m70, coxas grossas, assento grande e empinada e seios médios. Eu, 42 anos, branco, 1m78, cabelos castanhos, olhos verdes. Ao chegarmos na suíte, fomos logo nos beijando, tirando nossas moda, alisando nossos corpos. Pude atestar que Ana era de fato gostosa. Que assento atraente ela tinha. E como beijava bom. Beijava sua boca, apertava seus seios e pude sentir sua bucetinha molhada, alisava sua assento, passando meu aptidão em seu cuzinho. Ela, por sua vez, alisava meu cacete e gemia quando eu alisava sua buceta e seu cú. Fui beijando seu corpo, descendo com minha boca por seus seios. Chupava ademais um e ademais outro. Apertava eles de rápido, arrancando gemidos de Ana que pedia para eu chupar sua buceta, que queria achincalhar na minha boca. E era o que eu queria no hora similarmente. Passava minha dialeto em sua buceta de pêlos aparados. Uma agrado, toda molhada. Chupava seu grelo durinho e Ana rebolava na minha boca, gemendo cada vez maior. Enquanto chupava seu grelo aproveitei para enfiar 2 dedos lá no fundo. Enfiava os dedos com desejo e Ana rebolava cada vez mais e os gemidos aumentando. O alegria aparecia apresentando e eu acelerava cada vez mais as chupadas no grelo e agora eram 3 dedos dentro da buceta encharcada. E a gozada veio intensa, molhando meu anverso todo. Após achincalhar intensamente, ela queria mais. E eu similarmente. Queria enfiar meu cacete em sua buceta. Pedi para ela ficar de quatro, pus uma camisa-de-vênus, e enfie minha pica de uma vez apenas. Entrou bom. Segurava em sua cerca e enfiava meu cacete forte e acelerado. Como era gostosa a sua buceta. Aproveitei para abrandar seu cuzinho e Ana empinou a sua assento. Foi o demonstração que eu esperava para colocar um aptidão no seu aliança. Ela gemia com meu aptidão no seu cú e minha pica em sua buceta. Veio outro alegria forte e seu corpo tremeu inteiro. Era a momento para uma aberta. Enchi a hidro e peguei uma birra. Ficamos nos curtindo, nos beijando, fazendo afagos. Após uma meia momento de relaxamento, voltamos para a cama. Ou aproximadamente. Pedi para ela se abraçar na cama e empinar a sua assento tesuda, uma vez que queria fudê-la. Ela prontamente ficou em acomodação e eu fui enfiando lentamente, porém ela queria atuação e empurrou a assento para após. Meu cacete entrou todo. Por isso foi minha vez de comportar-se e permitir o que ela aparecia querendo: pica no cú. Enquanto fodia seu cú dava tapas em sua assento. E senti que ela aparecia gostando. E passei a abalroar mais forte e Ana começou a gemer. A gemer, não: berrar. Aparecia adorando permitir o cú e acastelar. Para analisar qual seria sua comportamento, a peguei pelos cabelos e levantei sua cabeça para que ela se olhasse no espelho e visse sua cara de atração. Senti que ela gostava de ser dominada. Segurei mais forte ems eu cabelo e comecei a chamá-la de puta, vadia. A mulher se transformou. Arrebitou a assento e pediu para que eu socasse o cacete no seu cú. Socava com desejo. Batia em sua assento. Puxava seus cabelos. Ana deu mais uma gozada deliciosa. E não tive como resistir o alegria, que similarmente veio intensivo. Fui tomar um banho e no momento em que voltei ela aparecia toda abertinha querendo que eu chupasse de novo sua buceta. Caí de boca. Chupava ela toda e veio mais um alegria. Uma nova ajuste, dessa vez para jantarmos. Era necessário restabelecer as forças. Pedimos uma alimentação e depois de nos alimentarmos de ficamos na cama namorando. Acabamos adormecendo e no momento em que acordamos de madrugada, voltamos a fuder bom. Já sabendo que ela gostava de um sado rápido, pedi para que ela chupasse minha pica. Ana engoliu com estilo. Chupava com bastante atração. Tirei meu cacete da sua boca e dei-lhe um anteolhos no anverso. Ela mais uma vez gostou. Dei mais um um e a chamei de puta vadia, cachorra. Ela voltou a chupar meu cacete. Engolia ele todo. Aparecia aproximadamente gozando, porém queria resistir para abronzar aquela chupada deliciosa. Porém ela sabia chupar bastante bem e acabei gozando em sua boca. Ela tirou alusão de cuspir, porém disse que ela ia absorver como uma ótima vagabunda. A safada, engoliu tudo e passava a dialeto nos lábios. Segurei a sua cabeça e levei a sua boca até meu cacete e inclusive flácido, depois da gozada, pedi que chupasse mais. Segura forte pelos cabelos e ela se deliciava com minha pica e em ser dominada. Voltamos a afeiçoar-se enquanto o cacete voltava à ativa. Pedi seu cuzinho de novo e ela já foi ficando de quatro. Mais uma foda deliciosa. Antes de penetrá-la enfiei 3 dedos no seu cú. Não sabia qual seria a sua comportamento. Mais uma vez ela aprovou. Arrebitou também mais a assento e pedia para eu enfiar meus dedos dentro dela. Mais uma apresentação de tapas na assento e ela gozou. Continuou de quatro e foi a vez de enfiar meu cacete no seu cu que já aparecia todo arrombado. Em seguida dessa transa, voltamos a dormir e no momento em que acordamos, antes de exigir a conta, fudemos mais uma vez.

2 thoughts on “Sexo com uma negra deliciosa

  1. Adoro uma negra sempre quis comer uma negra mulheres que quiserem falar de sexo me chamem no whatsapp pode ser novinha até coroas 011965145347

  2. As negras sao as que dão mais gostoso. A buceta chega a queimar a rola e o gozo escorrer pelas pernas. Amo fuder negras rabudas bem putas e bem safadas. Tenho a rola grossa e cabeçuda pra socar na buceta e no seu cu. Meu zap 11-95464-8431

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *