Tentação, Difícil ver, tocar e não comer 2

Bom, Todos já sabem quem sou, vamos ao que interessa, Ao final daquela sacanagem onde acabei gozando e melecando a buceta de Lilian, parte espirrou por acidente nos lábios, onde jpa tinha dito que ela passou a língua de forma tão sacana que impossível olhar para ela e imaginar que eu estava diante de uma puta, Lilian passava a língua nos lábios superiores, com uma mão ela passava na virilha dela espalhando tudo, quando achei que ela pegaria a calcinha doll para limpar a mão ela levou os dedos uma a um na boca, eu deitado atrás dela vendo o filme de putaria onde a Hellen Matheus fodia muito, Lilian assistindo e lambendo os dedos, logo que o filme acabou acabamos ficando por ali mesmo na minha cama, fiquei

pensando muito sobre o ocorrido, e custava a acreditar, fui tomar banho e quando voltei deitei na cama e puxei Liliam pela cintura fazendo com que a bunda dela ficasse colada em mim, e assim tentei dormir com meu pau em brasa, foi complicado mais conseguir, pela manhã umas 9:00 acordei e quando entrei no banheiro, Lilian estava sentada no vaso, depilando aquela linda buceta, nem se incomodou com minha presença, assim que ela acabou, entrou no banho eu fui para a cozinha preparar café, quando ela finalizou chegou na sala sentou no sofá com uma shortinho curtinho uma blusinha e o tamanquinho de madeira, fui ao quarto tomar outro banho, quando sair coloquei uma cueca box e ouço ela me chamando para tomar café que eu tinha preparado para ela, assim que sentei ela começou a conversar sobre o ocorrido, olhou para mim e disse; “E agora? Acordei com a boca com gosto de porra e os pelos da buceta grudento kkk”, ainda bem que não deixei você enfiar, do contrário agora eu estaria numa farmácia comprando remédio para não engravidar”.
Engraçado que eu sentado tentando tomar o café, ela linda com aquele short de algodão meio que coladinho aquele tamanquinho e uma blusinha top com aqueles seios empinados, Lilian sentou-se no sofá acabei sentando também claro ainda de cueca a casseta querendo invadir qualquer buraco, eu estava disposto a tudo, então começamos a falar sobre o ocorrido, ela pegou um barbeador e me deu, achei que era para jogar fora, afinal ela tinha usado, então Lilian disse; “Vai tomar um banho e volte aqui com esse pinto lisinho”, nossa que putaria doidera digna da corte de Calígula, fui para o banho, cheguei a ensaiar uma punheta para ver se o saco fabricasse mais esperma, porque eu sabia que a coisa seria muito mais foda, ao final do banho fui diretamente para a sala, onde Lilian estava deitada com uma das pernas em cima do recosto do sofá, com uma das mãos puxando o shortinho e a outra massageando aquele grelo saliente com lábios fechadinhos, ela de olhos fechados nem me viu chegar e como um esfomeado que nunca viu uma buceta, afundei minha língua encontrando uma barreira, era o cabaço daquela ninfeta neste momento Lilian pega de surpresa, dá um grito, puxei o shortinho de algodão, então eu rasguei e mandei ela abrir a boca, coloquei o short dentro e disse que se ela tirasse, eu iria dar umas palmadas na bunda dela e uns tapas na cara, eu passava a língua era uma maravilha, coloquei ela sentava de pernas abertas e de joelhos continuei dando uma surra de língua, senti a buceta pingar, era saliva e o gozo, ela com o short na boca levou uma das mãos a boca e puxou o short, como prometido, cumprir, puxei ela por uma das mãos, a levei para o quarto de casal e a joguei na cama, em seguida mandei um tapa na cara dela, ela começou a gritar como uma louca eu mandei ela acalmar e aceitar, mandei ela ficar de 4, ela perguntou o que eu faria, então mandei novamente e com a mão, dei uns 5 tapas na bunda, a cada um ela mordia o travesseiro e rugindo com raiva sem poder fazer muita coisa, ao final de cada tapa ela urrava, quando finalizei, subi na cama mandei ela cuspi na cabeça da minha pica voltei a ficar atrás dela me ajeitei na entrada do rabo dela, ouvir ela pedir carinho então fui forçando a entrada, Lilian berrava e urrava como uma puta eu me segurando para não gozar, ela mordendo o travesseiro tão forte que rasgou um deles, olhava para tras e gritando me mandou parar, fiquei parado ela respirando me pediu para não fazer aquilo, fiquei com receio e pedir para que ela chupasse meu pau, eu sentado na cabeceira ela ajoelhada pagando um boquete naquela pica lisa que parecia que aumentou o tamanho, quando perguntei se ela já tinha dado o rabo, ela disse que tinha mentido, que ela era virgem em ambos os lados.
Então mandei ela buscar um creme dela, mandei ela passar no meu pau e com ela de 4, fui enterrando meu pau até eu encostar meu saco naquela buceta lisa e babada, fiquei metendo bem devagar ela se contorcia, gemia e urrava mordendo o resto do travesseiro, ficamos fodendo das 10:30 da manhã até quase 12 horas, botei de quarto, de lado, de coqueirinho, não aguentando mais avisei que queria gozar e muito, surpreendentemente, Lilian sai da posição e pede para eu gozar na boca sem derramar uma gota, eu acabei enchendo a boca de porra, foi tanta porra que nem eu estava preparado para aquilo tudo, achei que ela iria para o banheiro cuspir então ela fecha a boca olha bem pra mim e engole tudinho… quando ela terminou de tomar tudo, ela levanta vem até a mim e sem eu esperar, mete a língua na minha boca, e ali começou uma chupança de língua, foi meio diferente, ais eu já estava na vibe, então continuei, quando terminamos, no meu ouvido ela diz; “Se recupera que mais tarde quem sabe tem buceta”.
Neste momento, toca o celular, nossos pais perguntando como estavam as coisas e se eu estava tratando ela bem, ela olha para mim e responde dizendo no celular; “Ele é louco de não me tratar bem!!! Está sim, fino trato”, quando terminou a ligação ela completou; “Se não me tratar bem, mais tarde não tem buceta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *