Transando com meu chefe

Comecei a trabalhar em um grande escritório de advocacia, não era a minha área mas o ambiente era agradável e o salário era bom. Fui contratada pra ser secretária do filho do dono da empresa, nunca tinha visto ele mas já sabia que se tratava de um homem poderoso e intimidador. No dia que eu o conheci entendi o porque dos boatos….Ele era o homem mais terrivelmente lindo que eu ja tinha visto, era alto, moreno, de uma postura de macho alfa ou algo do tipo e de um olhar tão decidido que me assustava. Um dia tivemos que ficar até tarde resolvendo umas coisas do trabalho e ele pediu que eu o ajudasse da sala dele. Ele estava sentado em minha frente e sua presença me deixava nervosa a ponto dele perceber minha inquietação.
“Você está bem?” -perguntou ele com um tom de ironia na voz, como se ele soubesse o efeito que causava em mim… bom, talvez ele soubesse mesmo porque eu era péssima em disfarçar.
“Sim, claro, estou… Só está meio frio aqui”
“Talvez eu possa esquentar”
O jeito que ele me olhava fazia meu sangue ferver sem ao menos me tocar, um arrepio me subiu entre as pernas e eu fiquei de pé subitamente com a esperança de fazer aquela sensação sumir. Dei as costas e fui em direção a uma prateleira com a desculpa de ter que procurar uns documentos. Foi quando eu ouvi seus paços e logo um sopro quente de respiração forte invadiu a minha nuca e ouvidos. Eu fiquei tão alucinada que deixei os papéis caírem no chão.
“Eu pego!”

Ele sussurrou e abaixou aos meus pés. Foi quando eu senti seus dedos deslizarem nas minhas pernas e subirem até o meu joelho. Minha respiração foi ficando mais forte de acordo com que a mão dele ia subindo, quando chegou mais perto ele já estava de pé e sua mão subia meus vestido devagar
“Preciso que não se mexa, fique quietinha e me deixe fazer meu trabalho. Tudo bem?”
“ok” – foi a única coisa que consegui dizer, eu estava completamente excitada e louca pra ter ele todo dentro de mim, mas ele parecia que queria me enlouquecer.
A mão dele subiu entre minha coxas e eu senti ele colocar minha calcinha pro lado e deslizar seus dedos na minha buceta. Minha respiração nunca esteve tão ofegante, eu estava em total delírio, nunca tinha tido tanto tesão. Ele parecia conhecer meus desejos, parecia gostar de me ver morrendo de vontade e praticamente implorando pra que ele me comesse com toda força.

Ele penetrou dois dedos em mim e me ouviu gemer. Ele puxou meu cabelo e mordeu minha orelha. Quanto mais eu gemia mais rápido ele metia seus dedos.
“Não goze ainda”, disse ele num tom debochado. Ele me virou pra frente e lambeu os dedos que estavam dentro da minha buceta.
“Você tem um gosto bom”, ele disse já tirando seu terno e arrancando o seu cinto. Ele baixou o zíper do meu vestido me deixando só de calcinha, e me imprensou na parede. O beijo dele era lendo, intenso e quente, ele apertava minha bunda, e sentia seu pau e meu desejo só aumentava, eu pensei que ia explodir de tanto tesão que estava sentindo. Ele me carregou de frente e me jogou no sofá, me beijou novamente e tirou meu sutiã.

“Gostosa do caralho”, ele sussurrou em meu ouvido enquanto apertava meu peito, logo ele começou a beijar meu pescoço e foi descendo até passar a língua no meu peito. Eu gemia e tremia em êxtase. Ele chupou os meus peitos com tanta vontade que eu tinha a sensação de que ia arranca-los de mim. Passou a língua descendo por toda minha barriga e quando chegou no meu umbigo ele olhou pra mim e sorriu, como quem sabe que o show vai começar. Em um rápido movimento ele rasgou minha calcinha preta de renda e mordeu o lado inferior da minha coxa, lambeu minha virilha e passou sua língua bem molhada no meu clitóris, eu gemi muito alto e isso fez ele se empolgar ainda mais. Ele chupou toda minha buceta com tanto gosto e quanto mais eu gemia e mordia a almofada ou apertava o sofá, mais ele enfiava sua língua em mim.
“Não goza ainda”, ele disse enquanto tirava as calças.

“Quero você de quatro”, disse já me levantando e me posicionando no sofá do jeito que ele queria.
Quando ele meteu o pau na minha buceta, ele mesmo começou a gemer e isso me deixava mais excitada.
“Isso, mete com força”, eu pedi e assim ele fez. Enquanto ele metia fundo em mim, batia na minha bunda com vontade e isso só me deixou com mais tesão. Ele puxou meu cabelo e apertou meus peitos enquanto ainda metia gostoso em mim. Logo, me deitou no sofá e veio por cima de mim abrindo minhas pernas e metendo devagar
“Você gosta assim?”
“Gosto. Gosto muito”, naquele momento eu sentia que poderia morrer de tão excitada que eu tava. Ele segurava minha perna com força e metia com vontade, ao mesmo tempo que chupava o bico do meu peito. Depois ele me beijou intensamente, olhou pra mim e começou a meter mais rápido, meter fundo e com força.
“Goza pra mim. Eu quero ver você gozar”

O jeito intenso que ele me olhava, o prazer que ele sentia em me satisfazer, a força e brutalidade do seu sexo e a expressão de quem também tava doido pra gozar, foi o conjunto mais que perfeito pra me fazer gozar como nunca antes tinha gozado na vida. Eu gritei como uma leoa rugindo, senti meu corpo transcender e minha alma abandonar meu corpo por 1 segundo.
Quando ele levantou eu senti o seu gozo escorrer pelas minhas pernas. Eu mal conseguia me mexer. Ele pegou as minhas roupas e me deu, enquanto vestia as dele. Depois de vestido ele me olhou e disse:
“Te como amanhã”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *