Transando no trabalho

Antes de eu me formar e trabalhar nessa empresa que estou hoje, eu trabalhava como secretária de um médico que tinha uma clinica na Vila Nova Conceição – SP. Bairro nobre da zona sul da capital. Às vezes quando estava pra fazer o fechamento do mês eu entrava mais tarde pra sair mais tarde (após o horário de atendimento, sempre era mais tranquilo trabalhar). Então quando a recepcionista se despedia umas 18h eu sabia que a clinica era só minha, então trabalhava tranquila até as 21h. Nessa época eu saía com um cara chamado Igor, ele era muito calmo, um pouco tímido e correto até demais. E sempre ia me pegar na clinica quando eu ficava até tarde!

Eu pedia pra ele subir e ele ficava me esperando na recepção assistindo TV.
Um dia ele chegou mais cedo do que eu esperava, e tentei correr com o fechamento pra ele não esperar tanto. Quando terminei, fiz um café pra gente e começamos a conversar sobre o trabalho, sobre o quanto eu estava estressada e cansada. Ele pediu pra que eu sentasse pra ele fazer uma massagem em meus ombros. Tive a genial ideia de chamá-lo pra sala do Dr. eu deixaria na maca e ele me faria uma deliciosa massagem nas costas!

Deitei de bruços, baixei um pouco a calça cintura alta que estava, desabotoei minha camisa, ficando apenas de sutiã. Igor pegou um creme pras mãos que tinha na minha bolsa e começou uma massagem forte e lenta nas minhas costas, começando pelos ombros, aquela mão forte e grande, apertando meus ombros, nuca, descendo os dedos pelo meio das minhas costas, subindo novamente com um toque leve e sutil, me fez arrepiar.
Minha cabeça imaginando coisas…

Ele desceu os dedos até minha cintura, apertava com firmeza e gentileza ao mesmo tempo. Descia mais, os dedos forçando a calça pra baixo como quem quer espaço, como quem quer trilhar caminhos proibidos. Sem pedir, baixou minha calça até deixar minha bunda empinada totalmente descoberta, não ofereci nenhuma resistência.
Igor passava as mãos nas minhas costas e descia até a bunda, a apertando e me fazendo soltar gemidos involuntários. Descia os dedos por cima da calcinha fio dental entre as minhas pernas, me dava arrepios e me enchia de tesão. Ainda fazendo “massagem” Igor colocava seus dedos dentro da calcinha, me fazendo tremer, no momento em que ele colocou seus dedos na minha bucetinha ele falou espantado:

-Arii, como vc tá molhada!!! Agora é hora que fazer massagem na parte da frente.
Me virei de barriga pra cima, Igor tirou minha calça e já aproveitou pra tirar a calcinha junto.
Começou massageando meus pés, tornozelos, coxas, abrindo minhas pernas com as mãos, começou a massagear meu grelinho. Eu já nem me controlava mais, gemia alto e forte, olhando aquele volume na calça do Igor.
Aquela massagem foi ficando intensa, agora ele enfiava um dedo na minha buceta e outro esfregando meu grelo, minha mente só queria saber da minha buceta sendo fodida.

Puxei o Igor pra mais perto pela cintura. Tirei a camisa dela de dentro da calça, desafivelei o cinto, abri o botão e apertei aquele pau que já estava duro feito uma rocha, ele colocou pra fora, sem nem pensar me virei e coloquei tudo na boca, ele gemeu e ouvir aquilo me fez lembrar onde estávamos. Abri os olhos um momento, olhei em volta. Percebi que ninguém iria chegar, o consultório estava trancado, pra alguém subir a portaria teria que ligar pra lá. Voltei a mim e coloquei aquele pau grande não enorme mas bem grande na minha boca, chupando e babando, enquando Igor enfiva dois dedos na minha buceta me chamando de cachorro, perguntando se estava bom. Respondi:

– Vai ficar melhor quando vc enfiar esse pau em mim.
Desci da maca, apoiando minha barriga e inclinando meu corpo pra frente, falei: – Mete aqui vai!!
Sem nem pensar, Igor encontrou minha bucetinha com a cabeça daquele pau delicioso, forçou um pouco e já começou um vai e vem, dando estocadas fortes no meu útero. Segurando meu cabelo ele me puxava pra trás falando no meu ouvido:
– Já pensou se seu chefe chega agora e pega a gente transando na sala dele? Ele ia ficar com tesao de ver a gostosa da secretária dele sendo comida aqui.

Essas palavras só serviram pra eu gozar mais rápido, gemi igual puta, sem pensar.
Igor foi metendo mais rápido e mais forte, olhei pra baixo, notei que ele ainda estava de calça, e por incrível que parece me deu mais tesão ainda, adoro essas transas rapidinhas em lugares diferentes e proibidos.

Comecei a rebolar no pau do meu safado. Ele gemia e metia feito louco, quando anunciou que gozaria.
Me afastei e me joguei de joelhos, agarrei aquele pau com a boca. Olhei pra ele suplicando leite ! E aí recebi, um gozo quente e grosso na minha boca e rosto. Engoli tudinho, lambi aquele pau, pra deixá-lo limpinho. Igor encostado na maca parecia cansado e satisfeito. Falou assim: Deixa eu te levar pra casa, pq quero te comer mais e sem pressa.
Levantei coloquei a roupa, fechei a clínica e saímos.

.
Bom gente, esse foi mais um conto real. Espero que tenham gostado. Votem e comentem, aceito sugestões e críticas.

Beijos molhados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *